Slider

Livros

Filmes

Promoções

Novidades

Séries

Games

» » » » » » » » » Resenha Premiada: O Planeta dos Macacos de Pierre Boulle (Finalizada)


O Planeta dos Macacos (La planète des singes)
Pierre Boulle
216 páginas - Ano: 2015
*Exemplar cedido gentilmente pela Editora Aleph

Ler O Planeta dos Macacos de Pierre Boulle é ter o privilégio de fazer uma viagem de questionamentos a um não tão admirável mundo novo, principalmente para a raça humana.
A narrativa começa quando um casal de viajantes do espaço encontra uma garrafa com um manuscrito, onde Ulysses Mérou relata uma odisseia moderna de acontecimentos vividos por ele.
Preste bastante atenção logo no início do relato de Ulysses para uma compreensão total da história e até indico que após terminar a leitura do livro, você o releia até a página 17.
O ano é 2500. Ulysses é um jornalista que foi convidado pelo professor Antelle para participar de uma inovadora viagem intersideral para o sistema de Betelgeuse. A nave conta ainda com mais um tripulante, Arthur, um discípulo do professor. 
A viagem sai como planejado e eles chegam a um planeta muito semelhante a Terra e o batizam de Soror. Logo em seguida descobrem que Soror é habitados por humanos, quando encontram uma mulher um tanto quanto selvagem, chamada por Ulysses de Nova. A forma como os humanos vivem e seu horror pela tecnologia realmente os caracteriza como selvagem.
E então são surpreendidos ao constatarem que a espécie dominante do planeta são os macacos.


A primeira adaptação da história para o cinema foi estrelada por Charlton Heston em 1968, com a famosa e icônica cena final. Eu já tinha assistido ao filme e me surpreendi ao terminar a leitura do livro porque não só o final é diferente como ele é muito mais denso e infinitamente superior ao filme.
Na postagem sobre o filme, farei uma comparação mais completa sobre os dois.
O livro de Boulle critica experiências realizadas em animais, principalmente em macacos, e como os tratamos em nossa sociedade da forma mais impactante possível: com a inversão de papéis. Vemos homens serem mortos por esporte e caçados para serem vendidos, exibidos em zoológicos ou como animais de estimação em coleiras e usados como cobaias em testes simples até em cirurgias complexas.
Os macacos têm a plena consciência que os homens são muito próximos fisiologicamente deles mas não se importam com isso porque acreditam que só eles são racionais e dotados de alma.
Infelizmente essa realidade não é muito diferente da nossa. E se analisarmos o nosso passado recente, essas mesmas desculpas foram usadas pelos conquistadores e escravistas para justificarem suas ações contra humanos.
Boulle critica também as relações humanas baseadas somente na aparência.
Ulysses tem muita gratidão por Zira e admira suas ações e atitudes, ou seja ele gosta dela pelo o que ela é e não por sua aparência, afinal ela é uma chimpanzé. Já em relação a Nova, seus sentimentos não vão muito além do instinto de preservação da espécie.
A teoria de involução da raça humana pela estagnação apresentada pelo autor é muito interessante e inovadora.
Isso acaba acontecendo até mesmo com o próprio Ulysses. Então ele sente vergonha de seu comodismos e decide mudar sua situação.
Em alguns momentos os acontecimentos são cômicos, não por mostrarem macacos vivendo em uma sociedade semelhante a nossa, mas porque as atitudes deles são reflexos das atitudes humanas.
Os questionamentos sobre o que é ser racional e por conseguir aliar ficção científica com uma profunda critica social onde macacos vivem como homens para nos mostrar o quanto somos falhos, tornam O Planeta dos Macacos atemporal.

Promoção

O blog em parceria com a Editora Aleph vai sortear um exemplar do livro O Planeta dos Macacos.
Para participar é só cumprir as quatro primeiras regras obrigatórias do formulário abaixo. As outras entradas são chances extras.
E também nas chances extras é possível tweetar sobre a promoção todo o dia.


ATENÇÃO:

A promoção começa hoje, 01/06 e vai até o dia 29/06.
Perfis fakes nas redes sociais ou utilizados apenas para participar de promoções serão desclassificados.
Os participantes precisam ter um endereço de entrega nacional.
O resultado será divulgado no dia 30/06 e o vencedor será avisado por email e terá 48 hrs para responder com seu endereço completo. Caso o vencedor não responda nesse prazo, um novo sorteio será feito.
O livro será enviado para o vencedor pela editora em um prazo de até 35 dias após a divulgação do resultado. A editora não se responsabiliza por atrasos, perdas e extravios por parte dos Correios.

Enjoy! See you soon!

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

18 comentários:

  1. Gostei da resenha e quero muito ganhar o livro!

    ResponderExcluir
  2. Eu ainda não assisti o filme de 68. Só vi as três últimas adaptações. São perturbadoras por toda essa questão dos humanos estarem na condições ser menos desenvolvido. E os macacos agiram com humanos: cruéis. É uma inversão de papeis que nos faz refletir as ações humanas.
    Esse é um livro que quero ler. Só preciso de um pouco de grana para ter todos os livros da Aleph.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Eu assisti a algum filme da série, eu já nem sei mais qual, qd eles começam a sair em sequência e não é fantasia rs, eu me perco. Mas é uma história que trabalha uma reflexão legal, afinal nós nos achamos superiores, mas honestamente alguém que destrói o lugar que habita não tem nada de inteligente =P!

    Acho que o livro vai me agradar bem mais que o filme!
    Miquilis

    ResponderExcluir
  4. É impressionante como uma obra pode ser tão detalhada. Ainda não li o livro, mas assisti ao filme e me surpreendi. Consegue, em poucas cenas, já me fascinar em como é descrita a humanização dos animais. Aliás, parabéns pela resenha, espero ganhar o sorteio para lê-lo também.

    ResponderExcluir
  5. Maria Helena Dóro2 de junho de 2015 22:07

    Não vi o filme original, mas já vi algumas continuações, gostei do que vi...e com certeza vou adorar o livro! Sua resenha atiçou minha curiosidade!!!

    ResponderExcluir
  6. Muito boa a resenha, já vi os 8 filmes relacionados a série, mas desconhecia a existência do livro que originou os filmes, fiquei curioso por essa leitura, principalmente pelo fato de tu ter falado que o final do livro é diferente do filme de 68, outro fato que percebi é o nome do protagonista do livro (Ulysses) que é diferente do filme (George Taylor), mas Zira e Nova estão lá em ambos :D.
    Estou louco para ler o livro para poder compara-los, normalmente acho os livros melhores, mas há algumas exceções cinematográficas.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Eve!
    Adorei sua resenha. Não poderia ser mais completa.
    Estou aqui baixando os filmes do Planeta dos Macacos. Só lembro dos mais recentes e acho que estou devendo de ver os mais antigos. Li Tubarão recentemente e vi como é se deparar com uma obra já adaptada muito mais densa do que estamos acostumados. Quero demais ler!
    Com carinho,
    Celly.

    http://melivrandoblog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Oie
    Fiquei muito ansioso para ver os filmes mais antigos. Amei o PdM: A Origem, mas é o único da coleção que eu conheço.
    Fiquei louco para ler

    r-de-resenha.com

    ResponderExcluir
  9. O filme e tão clássico, com um dos melhores finais da história do cinema, que acho que ofuscou um pouco o livro. Por isso, minha surpresa ao ler aqui o livro ser muito superior ao filme.
    Se eu não ganhar a promoção vou dar um jeito de ler essa obra um dia.

    ResponderExcluir
  10. Eu simplesmente adoro os filmes... hahaha
    E sou doido com o livro, fiquei muito empolgado quando soube que a editora Aleph ia relançar esse clássico, Se já sou fã dos filmes imagina com os detalhes nos livros *-*
    Participando e torcendo!!
    Douglas Fernandes
    douglas_bouvier@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oie
    O filme nunca me chamou muita atenção mas sem dúvidas tenho vontade de ler o livro,já que adaptações não são meu forte.E sua resenha veio pra me alertar de prestar bastante atenção no inicio do livro,coisa que eu raramente faço por isso muitas vezes fico perdida no andar da história.Toda essa critica social parece ser bem intensa e explicada com clareza para o bom entendedor e essa edição da Aleph está maravilhosa :)

    ResponderExcluir
  12. Eu já vi o filme e as sequencias, e sou apaixonada por essa ficção.
    Podemos ver nitidamente que o homem não é mais humano, e que a humanidade não é exclusiva só dos humanos, se é que me entende. Ao invertermos os papeis isso fica muito claro, sem contar no fato da vida social entre os macacos, e as suas hierarquias, coisa que já estamos acostumados a ver. Amo os filmes por isso, por mostrar como é frágil e cruel cada um que se atreve a governar.

    ResponderExcluir
  13. Olá

    Eu gosto de alguns dos filmes de Planeta dos Macacos, tem uns que são bem desnecessários. Os últimos lançados ainda não foram conferidos por mim, prefiro ficar na memória com as cenas do primeiro. Sobre o livro: não sabia que ele existia, mas foi uma grata surpresa este lançamento, principalmente pelo que vi do projeto gráfico. Gosto muito dos livros da Aleph, mas infelizmente eles ainda são bem caros :c Parabéns pela resenha!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Desde a primeira adaptação que assisti, achei muito interessante a premissa! Quando foi anunciado o lançamento da Aleph a vontade que eu tinha em ler o livro subiu a níveis alarmantes rsrsrsrs
    Sua resenha me instigou ainda mais a ler essa história que é considerada um marco. E muito me falaram sobre o quanto o final do filme é diferente do livro.
    Amei a forma como escrevestes e ele irá direto ao topo das minhas próximas leituras =D
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Super participando do sorteio!!! Eu sou meio viciada em Planeta dos Macacos por causa dos meus pais. Eles tem toda uma história com esse filme: O assistiram no cinema, e tal. E desde criança eu assisto aos filmes, já vi todos! Adoro os personagens, adoro tudo, e fiquei muito feliz quando a Aleph lançou o livro com esse trabalho editorial belíssimo. Estou muito feliz! :)
    www.literasutra.com

    ResponderExcluir
  16. Muito legal. Lembrando que Soror quer dizer irmã, e foi escolhido como nome do planeta pela sua "semelhança" com a Terra ;-)

    ResponderExcluir

Faça a alegria da blogueira que vos escreve: deixe um comentário sobre o post!!!