Slider

Livros

Filmes

Promoções

Novidades

Séries

Games

» » » » » Análise: Batman Arkham Knight Por G.J. Stark


Eu sou o Batman!
Incrível é a palavra mais próxima no dicionário para definir o quão maravilhoso é a última parte da franquia iniciada em 2009 pelo estúdio Rocksteady em conjunto com a EIDOS e a Warner Bros. Seguindo a mesma premissa de seus antecessores, Batman Arkham Knight é uma experiência única que leva o jogador a percorrer as ruas de Gotham City atrás dos vilões do homem morcego em uma perspectiva de terceira pessoa cheia de ação.
Vamos dar uma rápida resumida na estória, mas sem spoiler...


Gotham é minha!
Muito tempo após os eventos de Arkham City, no qual culminou na morte do Coringa, Gotham viveu um breve momento de paz até o dia em que o Espantalho resolveu tomar a cidade de uma vez por todas. Precavido, o vilão contrata um exército de mercenários liderados pelo misterioso Cavaleiro de Arkham, que alega ser um antigo conhecido do Batman e deseja matá-lo a qualquer custo.


Bruce, surpreendido pelo novo parceiro do Espantalho, percebe não ser páreo para o Cavaleiro de Arkham, que está sempre um passo à sua frente.
Bem, por que falar sobre a premissa da estória? Simplesmente pelo fato de que a estória em si é a melhor experiência que eu tive em minha vida! Cheia de reviravoltas e fatos surreais, Arkham Knight traz uma estória digna de uma obra prima do cinema. 
O jogo – diferente dos seus antecessores – não é focado na evolução e aprendizado do Homem Morcego com suas habilidades, em certo momento temos até a impressão de estarmos interagindo dentro de um HQ sem precisar nos preocuparmos em correr atrás de aprimoramentos, pois o Cavaleiro das Trevas já é um combatente maduro e experiente. 


Novos equipamentos!
Portando uma atualização do Bat-traje, temos acesso a inúmeras habilidades fantásticas graças a mobilidade e resistência proporcionada pelo novo “terno” do Cavaleiro das Trevas. Um dos nos recursos mais bacanas e o golpe de multi-eliminação em que podemos derrotar vários oponentes ao mesmo tempo com a velocidade de um mestre em ninjútsu. 
A jogabilidade está incrível e a fluidez na qual o Cavaleiro da Trevas se movimenta e golpeia os inimigos é de impressionar.


Voe morceguinho!
Com o novo traje de combate do homem morcego, temos acesso ao novíssimo arpéu MKII e é uma boa pedida para sobrevoar por Gotham City em busca dos vilões.


Equilibre as coisas!
Uma das grandes inovações na franquia Arkham com certeza é a possibilidade de dirigir o Batmóvel por Gotham City. É sensacional pilotar pelas ruas perseguindo os capangas dos vilões e inclusive as vezes salvar viaturas do DPGC que estão sendo perseguidas por eles!
Não só como um objeto de ostentação nas ruas de Gotham, o Batmóvel tem um papel fundamental na imersão e na resolução de diversas etapas da estória do jogo. Em certo momento teremos de usar o guincho elétrico do carro para ativar portas ou então usar o canhão para abrir passagens para outro estágio. O carro foi muito bem aproveitado e sem dúvida alguma preencheu a lacuna vazia que assombrou o título antecessor Arkham Origins, no qual havia um mapa gigantesco da cidade de Gotham sem objetivo algum, era uma terra vazia e sem graça com inúmeras possibilidades criativas a serem exploradas em um futuro jogo da franquia, na qual Arkham Knight conseguiu corrigir com maestria.


Velhos inimigos!
Ah, o que seria do Batman sem os seus maiores rivais? Gotham com certeza não seria a mesma sem a bipolaridade do Duas-Caras, os negócios maquiavélicos do Pinguim, a sensualidade da Hera Venenosa ou o churrasquinho bem passado do Vagalume. 
Durante a estória do jogo os vilões vão dando as caras cada um no seu momento adequado, nesse aspecto Arkham Knight novamente surpreendeu por saber como administrar uma gama variada de vilões sem que parecesse clichê e cansativo demais ver sempre os mesmos rostos nos quatro títulos da franquia. 


É ai que vem a parte legal, alguns dos vilões, como o Pinguim por exemplo, você não luta necessariamente sozinho contra ele e seus capangas, temos a ilustre ajuda do Asa Noturna. Combinando combos insanos e golpes únicos, é de tirar o folego poder pela primeira vez na franquia controlar um dos personagens mais legais do universo DC. Mulher Gato, Robin, Batgirl, Capuz Vermelho e Arlequina completam o plantel disponível para o jogador controlar.


Com certeza Batman Arkham Knight é um dos melhores títulos lançado na atual geração, os fãs do Homem Morcego (assim como eu) não se arrependerão de passar horas dentro desse belo universo da DC Comics! 

Análise escrita por G.J. Stark

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Faça a alegria da blogueira que vos escreve: deixe um comentário sobre o post!!!